Delia Steinberg Guzmán

A professora Delia Steinberg Guzmán nasceu em Buenos Aires (Argentina) em 7 de Janeiro de 1943. Obteve a nacionalidade espanhola em 1975. É a atual diretora internacional da Organização Internacional Nova Acrópole.

Começou seus estudos musicais aos seis anos, graduando-se como Professora de Piano e Composição no Conservatório Nacional de Música de Buenos Aires, aos dezessete anos. Durante esta época, realizou estudos de aperfeiçoamento com a pianista argentina Floresce Nudelman, e posteriormente com o Professor russo Hubert Brandenburg.

Depois de cursar estudos de Ciências Exatas, jornalismo, publicidade e Humanidades, licenciou-se em Filosofia pela Universidade de Buenos Aires. Posteriormente, realizou cursos de especialização em arqueologia, história e história da música. Seus escritos são muito variados, publicados em revistas e jornais sobre temas relacionados com filosofia, música e cultura em geral.

Desde 1972 dirige na Espanha a Revista “Caderno de Cultura”, na qual publicou um bom número de artigos e séries, tais como “Entre nós”, “Ao final do dia”, “Algo para contar” e “Perguntemo-nos”, dedicados a promover a reflexão filosófica em meio das atividades cotidianas.

Desde o ano 2000 dirige igualmente a revista cultural “Esfinge”, de ampla difusão na Espanha e nos países ibero-americanos.

Entre seus livros se destacam (Publicados em espanhol): "“Os jogos de Maia"”; “"Disseram-me que…”"; "“Hoje vi..."”; “"A vida depois da morte"”; "“O herói cotidiano"”; "“Os perigos do racismo”"; “"A alma da mulher”"; “"Liberdade e inexorabilidade"”; "“Lembranças e reminiscências".

Publicados em português: "“A arte de triunfar na vida"”; "“Para uma nova idade Média”"; "“Por que florescem as seitas"”; "“Hoje vi"”; "“Os jogos de Maya"”; "“O Herói Cotidiano"”.

As obras escritas em espanhol foram traduzidas para o francês, alemão, tcheco, português, turco, russo, grego e outras línguas.